[19 de June de 2018]

Joana Gorjão Henriques (Imprensa), Cláudia Arsénio (Rádio), Pedro Coelho (Televisão), Adriano Miranda (Fotografia), João Santos Duarte e Tiago Miranda (Multimédia), são os vencedores dos Prémios Gazeta 2017.
Margarida David Cardoso ganhou o Gazeta Revelação e o júri distinguiu o “Correio da Feira” com o Prémio Gazeta da Imprensa Regional.
Luis Filipe Costa, jornalista, radialista e realizador de televisão, recebeu o Prémio Gazeta de Mérito.

Os Prémios Gazeta 2017, os mais prestigiados do Jornalismo português, são uma iniciativa anual do Clube de Jornalistas, e têm o patrocínio do Santander Totta e da Galp Energia.

 

» Comunicado do Júri

Imagem

CJ na TV

Emissão de 14 de Janeiro, de 2009

Video

Sede do Clube de Jornalistas, Rua das Trinas

Audio

Podcast CJ Online

Brevemente!

Opinião »

Leia aqui os 380 editoriais publicados nos EUA em defesa da imprensa livre
[17 de August de 2018]

Um pilar central da política de Donald Trump é o ataque à imprensa livre. Chama aos jornalistas “inimigos do povo”. O “Boston Globe” tomou a iniciativa de sugerir que jornais de todos os estados dos EUA – liberais e conservadores, grandes e pequenos – publicassem no dia 16 de agosto um editorial em que abordassem esta ameaça à democracia e à liberdade de imprensa. Responderam à chamada 380 jornais, cujos editoriais podem ser lidos no sítio seguinte:

» Ligação interactiva aos 380 editoriais

Opinião »

“Expresso” Curto de 16 de agosto de 2018
[16 de August de 2018]

“Verdades auto-evidentes” é uma expressão usada na famosa declaração de independência dos Estados Unidos. São verdades que são dadas como adquiridas, incontestáveis, incluindo as de que todos os homens são criados iguais e têm direito à vida, à liberdade e à procura da felicidade. Quinze anos depois desta declaração, em 1791, foi publicada a primeira emenda da Constituição americana, que prevê a liberdade de expressão e a liberdade de imprensa.  (Pedro Santos Guerreiro)

Ler mais…

Opinião »

Os compromissos da direcção editorial do “Público”
[16 de August de 2018]

No dia em que inicia funções, a direcção editorial do “Público” faz uma declaração de compromisso com a defesa dos «valores da livre iniciativa, da democracia liberal, das liberdades individuais, da fiscalização e controlo dos poderes».
Ler mais…

Opinião »

O jornalismo português é burro?
[15 de August de 2018]

Durante anos colaborei, alegremente, neste virar de costas do jornalismo português ao mundo da lusofonia. Agora sou obrigado a ver como fui tão burro e como é, desculpem, tão burro o jornalismo português. (Pedro Tadeu)
Ler mais…

Notícias »

EUA: Jornais unem-se para denunciar ataques de Trump contra os media
[14 de August de 2018]

Por iniciativa do “Boston Globe”, mais de cem jornais vão publicar quinta-feira um editorial em defesa da imprensa livre, “para que os leitores compreendam que um ataque contra a Primeira Emenda da Constituição é inaceitável”.
Ler mais…

Opinião »

A floresta arde e o fanatismo cega
[14 de August de 2018]

Desde pelo menos o tempo do Estado Novo que há incêndios todos os anos, alguns deles causando horríveis tragédias humanas. Mas, até 2017 nunca tinha havido campanhas orquestradas a responsabilizar os governos pelos fogos e pelas suas vítimas. (Alfredo Barroso)
Ler mais…

Opinião »

Tempo para plantar, tempo para arder
[12 de August de 2018]

Os media, em Portugal, abocanham os incêndios florestais com um misto de voyeurismo e de instinto assassino. Os demorados planos de labaredas recortadas num céu escuro e os grandes planos de caras sofredoras e queixosas alternam com uma retórica antigovernamental onde é difícil distinguir entre erros causados pela ignorância e manipulações intencionais puras e duras. Lembro que a manipulação não é, necessariamente, sinónimo de mentira. Pode-se distorcer totalmente a percepção do público através de técnicas de extrapolação, amplificação desproporcionada e indução de conclusões a partir de uma reconstrução da realidade que ignora factos determinantes.
As contradições nas coberturas dos incêndios são acentuadas pelo trabalho sério de muitos repórteres, cuja experiência, conhecimento e objectividade contrastam com as más práticas dominantes. (JAG)

Ler mais…

Opinião »

Não vou permitir que os meus filhos estudem jornalismo
[11 de August de 2018]

Tenho dois filhos. Martin, de sete anos, e Juanita, de seis. Martin disse-me que quando for grande quer ser guarda-redes. Juanita sonha ser patinadora e cantora. Já estão na idade em que começam a perguntar o que fazem os seus pais. Expliquei-lhes que sou jornalista, tal como a sua mãe. Na sequência das suas perguntas, comecei a pensar como deveria reagir se no futuro algum deles quiser ser jornalista. (Hernán Restrepo)
Ler mais…

Opinião »

Recomendações para cobrir tiroteios massivos e outras formas de violência indiscriminada
[11 de August de 2018]

Há vários recursos disponíveis para qualquer jornalista encarregado de informar o público sobre um tiroteio massivo, ainda que muitos recorram a práticas negativas. Neste contexto, a incorporação de melhores práticas na hora de informar ajuda a evitar imitações e minimiza as especulações inexactas. O jornalismo responsável evita o sensacionalismo respeita as vítimas e as suas famílias e não usa imagens ou informação que glorifiquem a violência. (Cristiana Bedei)
Ler mais…

Opinião »

Oito conselhos de privacidade na Internet para jornalistas
[10 de August de 2018]

Que medidas deve tomar um jornalista para não expor a sua informação e permanecer seguro contra ataques cibernéticos? Medidas que se aplicam a todos os utilizadores da Internet, note-se.
Ler mais…