Home » Opinião

“A minha política é o trabalho, perdão, o capital”

9 de September de 2016


O título do “Público” para a notícia do eventual lançamento de dois jornais de economia é enganador: “No meio da crise, dois novos jornais de economia apostam que há mercado». O título correcto devia ser, mais ou menos, assim: “Uma ou duas dúzias de empresários investem em dois jornais de economia”.
A crise da imprensa não é para aqui chamada. A falta de leitores vai continuar e a crise também. O que deveria despertar a curiosidade do jornalista do “Público” é a razão por que tantos empresários e financeiros decidem investir milhões, agora, numa imprensa em crise e em especial num mercado sectorial tão reduzido.
As pistas estão na própria notícia. A mais visível é a explicação do director do ECO que este será «um jornal económico e financeiro, não de política». Então a economia e as finanças não são política? Essa “explicação” fez-me recordar a frase que o salazarismo instilou: “a minha política é o trabalho”. É óbvio que a política, aqui, é o capital. Ou, melhor dizendo, a política do capital. Que para isso investe em jornais. (JAG)

Imprima esta página Imprima esta página

Comente esta notícia.

Escreva o seu comentário, ou linque para a notícia do seu site. Pode também subscrever os comentários subscrever comentários via RSS.

Agradecemos que o seu comentário esteja em consonância com o tema. Os comentários serão filtrados, antes de serem aprovados, apenas para evitar problemas relacionados com SPAM.