Home » Opinião

Lágrimas de crocodilo

16 de May de 2018


O chinfrim que por aí vai. Toda a gente a chorar baba e ranho pelo que aconteceu em Alcochete. Como se fosse um acaso impensável. Como se ninguém alguma vez tivesse pensado nessa possibilidade. Dos políticos aos jornalistas, dos proprietários dos media aos telespectadores, passando pelos dirigentes dos clubes e das Federações.
Os jornais, a rádio e a televisão a arrepanhar os cabelos pela malvadez criminosa dos membros das rascas claques clubísticas. Esquecendo-se, os media, do papel que têm desempenhado na clubite aguda que por aí abunda. (RC)

Lembro:

— há em Portugal – onde a iletracia é enorme e onde as tiragens dos jornais são anémicas – três diários desportivos onde o futebol e a clubite é quem mas ordena. Três publicações devidamente alinhadas – a cada uma o seu clube grande…

— há nos chamados canais televisivos de informação, incontáveis programas de ´debate’ sobre os jogos de futebol da 1ª Divisão nacional e das competições internacionais do pontapé na bola. Noites há em que, após alguns jogos mais mediáticos do campeonato nacional ou das Taças Europeias, a informação se resume à futebolite, com os ‘debatentes’ a insultarem-se uns aos outros e até, nalguns casos, com trogloditas tipo Pedro Guerra (que já foi jornalista e assessor de Paulo Portas quando este era ministro) a levantarem-se do lugar e, de dedo em riste e voz enfurecida, ameaçarem fisicamente parceiros de programa…

— há paletes de políticos que dão a cara para aparecer nos ecrãs a discutir e analisar jogos de futebol – muitos dos quais são pagos para marcar presença regular nos media a falar sobre futebol, não para esclarecerem seja o que for, porque do assunto nada percebem, mas para ganharem mais uns cobres e serem mais conhecidos do público potencialmente votante (quem não se lembra do Fernando Seara, um salta-pocinhas que chegou a Secretário-Geral do CDS e depois se passou para o PSD, andar numa campanha eleitoral a dizer aos passantes que ele era o careca do Benfica?).

— há clubes a endividarem-se até ao tutano para comprar a peso de ouro estrelas do futebol, a maior parte das vezes na vã tentativa de dar ‘alegrias’ aos sócios – ao mesmo tempo que alguns ditos responsáveis vão abichando comissões nas transferências e a levar uma vida faustosa à custa dos parolos que, sem fazer contas, só querem vitórias.

— há, em muitos casos, associados dos chamados clubes grandes a elegerem alegremente dirigentes ultra-rascas – e lembro apenas, a título de exemplo, nomes como Vale e Azevedo, que foi preso antes de vender todo o património do Benfica, e o Bigodes do Sporting, de nome Gonçalves, que para não ser preso fugiu para Angola. E já nem falo do a ctual presidente verde-branco.

— entrando num outro capítulo: quem já esqueceu que um dia, quando um intelectual chamado Octávio Machado estava à frente do futebol profissional do Sporting, um dos seus jogadores, Sá Pinto, foi ao Estádio Nacional, onde decorria um treino da Selecção Nacional de Futebol, e de surpresa agrediu violentamente o seleccionador, o prestigiadíssimo Artur Jorge, derrubando-o a soco e pontapés, desaparecendo de seguida e rapidamente para se integrar na equipa verde-branca que ia partir momentos depois para um estágio no Norte de África?

— quem já se esqueceu da fruta que um dirigente de um grande clube do Norte oferecia aos árbitros? Ou das agressões a jornalistas a cargo de jagunços arregimentados, como aconteceu num jogo do Porto em Aveiro?

— quem não se lembra do Boavista no tempo desse cidadão, militar e político exemplar chamado Valentim Loureiro?

Fico-me por aqui porque a prosa já vai longa – embora houvesse muito mais casos e exemplos do que ao longo dos anos tem sido o mundo da bola, dos media e da política.

Mais lágrimas de crocodilo é que não. Metam a mão na consciência – se a tiverem.

Ribeiro Cardoso

Imprima esta página Imprima esta página

Comente esta notícia.

Escreva o seu comentário, ou linque para a notícia do seu site. Pode também subscrever os comentários subscrever comentários via RSS.

Agradecemos que o seu comentário esteja em consonância com o tema. Os comentários serão filtrados, antes de serem aprovados, apenas para evitar problemas relacionados com SPAM.