Home » Informação adicional

Índice do livro “O 25 de Novembro e os Media Estatizados”

29 de November de 2017


ÍNDICE

Introdução

Uma explicação para começar

Uma constatação: unidade na diversidade

 

Parte I

Os saneamentos na RTP em vários andamentos

  1. As suspensões
  2. O protesto dos jornalistas do Telejornal
  3. Os despedimentos nove meses depois
  4. Até o Ministro do Trabalho
  5. Provedor de Justiça arrasa Instrutor do Processo…
  6. …E dois Secretários de Estado da Comunicação Social
  7. Nem a Lei da Amnistia foi respeitada
  8. Decisão memorável e seus porquês
  9. ‘No aniversário do fuzilamento’
  10. Sentença final: 11 anos e 10 Presidentes depois
  11. Almeida Santos segundo António Torrado
  12. Decisão final e suas consequências
  13. Pagar aos bochechos e de má vontade
  14. Reintegração ‘democrática’ à moda da RTP
  15. Nomes dos responsáveis maiores
  16. Histórias de vida dos injustiçados de Novembro
  17. Maria José Belo Marques, uma história bela e triste
  18. Júlia Buísel, a fantástica má da fita
  19. António Borga, as ironias da vida
  20. Mário Vieira de Carvalho: ‘Uma coisa sem nome, o processo’
  21. Álvaro Salazar, de antes quebrar que torcer
  22. Viriato Jordão, uma história das Arábias
  23. Artur Ramos: enorme, a todos os títulos
  24. Manuel Ferreira: a África dentro de si
  25. João Moniz Pereira: cenógrafo, pintor, surrealista sempre
  26. Pedroso Marques: “Orgulho-me é do que fiz no DN”
  27. Duran Clemente: 25 N na RTP – o como e o porquê

 

Parte II

A receita seguida na rádio

a) Emissora Nacional

  1. Suspensões e despedimentos
  2. Uma pequena mas relevante nota
  3. A fanfarronada
  4. À sombra de Neves de Sousa
  5. A ‘selfie’ perfeita
  6. Testemunhos de membros da Comissão de Trabalhadores
  7. Afonso Henriques: frontal, resistente e culto
  8. Manuel Silva Topa: PS, membro da CT e homem sério
  9. Carlos Branco: “A CT nunca deu aval aos saneamentos”
  10. Maria Assunção Freire: “Foi um tempo conturbado”
  11. Suspensos e despedidos dizem de sua justiça
  12. Manuel Tomás: ensaio sobre a angústia e a gratidão
  13. Eugénio Alves: “Há democracias assim”
  14. Armando Carvalheda: “Estar com os sediciosos era o que estava a dar”
  15. Dois depoimentos especiais:
  16. Alexandre Pais: “A questão era de natureza política. O resto é conversa”
  17. João Figueiredo, Presidente RDP: “Voltaria a fazer o que fiz”

 

  1. Rádio Clube Português

 

  1. O filme, sintético, na Sampaio Pina
  2. Onde estão as responsabilidades individuais no RCP?
  3. Reconstituição dos acontecimentos
  4. Conclusões do Relatório
  5. Uma foto histórica

Parte III

Os afastamentos no Diário de Notícias

  1. 14 jornalistas suspensos em Dezembro de 1975
  2. A reacção e resposta dos 14
  3. A luta continuou
  4. Nova e esclarecedora Ordem de Serviço
  5. A outra luz, a questão dos 24 no Verão Quente
  6. Processos disciplinares à vontade do freguês
  7. O problema, afinal, era da Administração
  8. Comunicados para todos os gostos
  9. Histórias/testemunhos na 1ª pessoa

. José David Lopes: “Não se pode imaginar o que é a vida de um suspenso”.

. Rogério Carapinha, suspenso antes de entrar

.Ernesto Sampaio, o único homem que conheço que morreu de amor

. Daniel Ricardo, jornalista e pedagogo da cabeça aos pés

. José Luiz Fernandes, suspenso à distância

. Luís de Barros, jornalista, sindicalista e governante

. Mário Zambujal, a arte de falar a sério como quem brinca

. José António Santos: os pontos nos is.

. Alice Vieira: “Havia nervo naquela redacção. Havia pica”

. David Lopes Ramos: “Morrem cedo os que admiramos”

 

Parte IV

O SÉCULO/SNT, lutas intestinas sopradas de fora 

  1. Um jornal inesquecível e um crime sem perdão
  2. Zambujal, outra vez
  3. O fascínio de um jornal em luta
    1. A manchete
    2. Cronologia dos acontecimentos
    3. Comunicados da Comissão de Luta dos Trabalhadores
    4. Desmontando o ‘Referendo’
    5. Tomada de posição de alguns jornalistas
    6. A informação através de comunicados
    7. A questão dos plenários
    8. Contra a sabotagem interna
    9. A nossa hora grande
    10. Roda Livre
    11. A ‘guerra’ ainda de vento em popa
    12. A suspensão dos 16
    13. À pedrada
    14. O cerne político da questão
    15. Um parêntesis (Nova Administração)
    16. Regressando à proposta PS para a comunicação social
    17. Atribulações de um democrata ministro
  4. Até que chegou o 25 de Novembro
    1. Mulheres dos Pides manifestam-se. Tenreiro foge
    2. O Século, de novo
  5. Cinco mais um: conheça melhor quem é quem
    1. Urbano Tavares Rodrigues
    2. Joaquim Benite
    3. Fernando Guerreiro
    4. Galvão Correia
    5. Adelino Tavares da Silva
    6. Carlos Coutinho, aliás, o Meneses
  6. A opinião do general Luís Sequeira, ex-administrador da SNT
  7. E agora a ‘Vida Mundial’

Parte V

ANOP, um caso diferente, mas lamentável

  1. O início da história da ANOP
  2. Garibaldi: o filme na 1ª pessoa

. Um episódio que não lembrava ao diabo

  1. . Wilton Fonseca, Heróis Anónimos
  2. Almeida Santos himself – a despedir e a nomear

. Ministro desconhecia que não havia Conselho Fiscal

. Que tempos aqueles!

. Incompetência ou mais grave?

 

Parte VI

Para meditar: o República, a Renascença e um militar penetra

           

  1. Jornal República: a grande manipulação

. A evolução do caso República

. Estimado Leitor

. Resposta dos redactores

. PS convoca manif Parte superior do formulário

. Um testemunho 22 anos depois

. Regressando a Maio de 1975

. Tese académica bem fundamentada

. O República e os militares

. Posição dos partidos da “esquerda revolucionária”

. Conclusão 1

. Conclusão 2

 

  1. Rádio Renascença: terrorismo de Estado em acção

. Ao vivo, do interior da Emissora Católica

 

  1. O militar penetra que nunca cheirou Abril

. O penetra-mor

. O testemunho de Costa Neves

. Herói de pastelaria

. Sobre a RARET

. O Farol novembrista

. Como se chega a Presidente da RTP…

. …Como se é chutado…

. …E amparado

. Auto-explicações

. 22 jornalistas denunciam atropelos graves na RTP

. Um cheiro a ‘Comércio’

 

    Parte VII

            Quantos  Novembros houve?

  1. Tanto ainda para esclarecer…
  2. Um epílogo em dois andamentos

Imprima esta página Imprima esta página

Comente esta notícia.

Escreva o seu comentário, ou linque para a notícia do seu site. Pode também subscrever os comentários subscrever comentários via RSS.

Agradecemos que o seu comentário esteja em consonância com o tema. Os comentários serão filtrados, antes de serem aprovados, apenas para evitar problemas relacionados com SPAM.